MALABARES

TACITURNO

Matheus Henrique

A performance consiste desde a caracterização do personagem Taciturno que terá vestes e maquiagens próprias. Taciturno simboliza a própria melancolia e possui referências post punk e punk, movimentos sociais que teve uma ascendência forte no Brasil nos anos 80 e veio como um grito anárquico se rebelando contra as desigualdades sociais. A estética que conduzirá o artista e a performance é a contra estética, uma agressão visual e corporal ao equilíbrio e harmonia proporcionados pelo capital que soam como belo, mas que possui uma essência podre. 

A apresentação será dividida em três atos, sendo eles: o grito, a provocação e o perigo. O grito é o momento em que Taciturno está parado na frente de 3 cones simbolizando para as pessoas pararem, e depois ele começa a brincar e jogar esses objetos para o ar, posterior a isso ele faz movimentos com bolas coloridas, aros e outros objetos variando entre movimentos como:  cascata, 222, 232, coluna, fake coluna, mil mess, caixa, shower, dentre outros. E para finalizar ele brinca com os facões e os bastões de fogo deixando o público tenso com a possibilidade de perigo.

 

O terceiro ato representa bem a ineficiência do primeiro. Jovens estão por aí perambulando pelas ruas pedindo por uma sociedade mais reflexiva, mais viva, mais acordada, só que as pessoas continuam locomover seus automóveis, suas pernas, seus trajetos. A única forma de para-las dessa alienação seria o colocar a si próprio em perigo, e essa é a sensação que temos com taciturno rodando facões e bastões do fogo no ar. 

Classificação indicativa: LIVRE

PLAY web to youtube_TACITURNO.png